Passado e Presente de Dois Córregos - SP

O Que é o Radioamadorismo

“O RADIOAMADORISMO É UM HOBBY CIENTÍFICO COM DIVERSAS MODALIDADES. O RADIOAMADOR É A PESSOA QUE PROCURA MANTER FUNCIOANDO UMA ESTAÇÃO DE RADIOCOMUNICAÇÃO, ORA PARA COMUNICADOS E CONVERSAS INFORMAIS BEM COMO PARA CONCURSOS E COMPETIÇÕES NACIONAIS E INTERNACIONAIS. ALÉM DOS “BATE-PAPOS” E CONTESTES, O RADIOAMDOR PODE AUXILIAR AS AUTORIDADES DE DEFESA CIVIL NAS SITUAÇÕES DE RISCO E CALAMIDADES PÚBLICAS, LEVANDO AS COMUNICAÇÕES AOS MAIS LONGÍNQUOS RINCÕES”

1) PONDERADO - O Radioamador é ponderado e atencioso e jamais usará sua estação para prejudicar a atividade dos demais;

2) LEAL – O Radioamador é leal e oferecerá sua lealdade, encorajamento e apoio aos seus companheiros, ao seu clube local e à sua entidade que o representa em seu país;

3) PROGRESSISTA – O Radioamador é progressista e manterá sua estação sempre atualizada tecnologicamente, conservada e bem instalada e operando com eficiência;

4) AMISTOSO – O Radioamador é amigo e paciente com os demais colegas, principalmente se forem iniciantes. Aconselha e auxilia os principiantes. Presta assistência e colaboração. Considera e coopera com o interesse alheio. Estas são as características do espírito do radioamadorismo;

5) EQUILIBRADO – O Radioamador é equilibrado. O rádio é seu passatempo e ele nunca permitirá que o seu hobby interfira em quaisquer de seus deveres e obrigações domésticas, profissionais, escolares ou para com a comunidade em que vive;

6) PATRIÓTICO – Sua estação e o suas habilidades sempre estão disponíveis para prestar serviço ao seu país e sua comunidade.

O Radioamadorismo é um hobby democrático, que não tolera discriminações sociais, raciais ou políticas. Pouco importa para o Radioamador se seu colega do outro lado não compartilha das mesmas crenças ou orientações políticas e muito menos se ele é de uma ou outra raça. O radioamadorismo forma uma imensa comunidade mundial onde as diferenças não existem e o que importa é que todos tenham o mesmo interesse comum.







5 de dez de 2016

Final do Curso de CW na cidade de Poá



                       Mesmo passando por um problema de saúde esse ano foi de vitória para mim!
Tivemos 1 ano a frente da primeira escola estadual do Brasil onde ensina-se o radioamadorismo e telegrafia!Tivemos 42 anos alunos fantásticos inteligentes entre meninos e meninas, e vários se destacaram pela habilidade no CW.
Tivemos alguns alunos em destaques sendo eles: Alan, Enzo as alunas Vanessa e Luana, todos com notas acima do que eu esperava! Estes jovens alunos foram um super destaques e deram um verdadeiro exemplo de como se aprende as matérias referentes a Legislação e Técnica Operacional e Ética, porem a maior surpresa foi o aprendizado em CW onde eles aprenderam de uma forma surpreendente e superando ate nós Professores. 
É como o caso do aluno Alan um garoto com 14 anos de idade que foi o 1ª colocado atingindo com  100% da sua media de aproveitamento no aprendizado, Alan se destacou inclusive em Telegrafia onde em sala de aula ele chegava juntos com outros alunos a fazer um QSO em Telegrafia usando os osciladores que foram doados e fabricados pelo Professor Jardel Souto (PY2KME) - motivo pelo qual surpreendeu não só os professores da escola mais os próprios amigos de classe pois ele além de saber todo alfabeto em CW ,ele também aprendeu pontuações e números!
Eu como professor fiquei muito feliz pelo resultado, pois a media mínima dos alunos foram de 75% de aproveitamento sendo assim todos tiveram excelentes médias!
Em um bate papo informal com a mãe do aluno Alan ela me disse que está muito feliz com o filho, por causa desta conquista e no qual nos agradeceu muito pelo nosso empenho de ensinar uma matéria que esta extinta nos currículos escolares. Segundo o professor Jardel
(PY2KME) o mesmo gostaria muito que essa idéia fosse levada para todas as escolas do Brasil tendo em vista que eu lutei muito, mas consegui aqui na cidade de Poá onde eu resido. Gostaria de deixar aqui meus cumprimentos a todos os alunos que fizeram curso conosco esse ano, e também a toda direção da escola e funcionários em geral. Em mérito pelos seus esforços o aluno Alan recebeu além do diploma do curso um HT Baofeng com forma de recompensa e pela dedicação ao estudo, sendo que já esta apito para prestar exames, mas segundo o próprio Alan ele quer apenas escutar as freqüências pois o mesmo só ira falar quando ele tirar o seu indicativo, sendo que a Anatel que é a agencia reguladora dos Sistemas de Radiocomunicação aqui no Brasil já solicitou que fosse envido o requerimento juntamente com as copias de seus documentos e dos seus genitores  (Pai e  Mãe) mesmo porque o Alan ainda é menor de 14 anos.
Quero deixar aqui esta dica para que todas as cidades e escolas do Brasil para que incentive os nossos Governantes a criar cursos como este para não deixar de existir o CW.
Também convido aos senhores a conhecer um pouco mais da minha historia no You Tube digitando PY2KME vocês terão uma infinidade de vídeos sobre a minha pessoa.

Jardel Souto PY2KME – Poá – São Paulo





Matéria envia pelo amigo Jardel Souto PY2KME - Poá SP
Editado por Marcão Fernandes Pu2YOB - Dois Córregos - SP

19 de ago de 2016

Cristais sob encomenda

Repasso esta importante dica do colega Adnei.
Com o fim das atividades DE PEQUENO VAREJO da Sobretom no Rio de janeiro (atual PIEZO), que era uma das únicas empresas que ainda cortavam
cristais SOB ENCOMENDA EM PEQUENA QUANTIDADE, muitos colegas experimentadores ficaram literalmente "na mão", pois a única empresa que sobrou era a Hosonic, do Paraná, cujos preços estavam alcançando a beira do absurdo (aproximadamente U$ 20,00 a unidade!).
No entanto, consegui descobrir qual foi a empresa que comprou o antigo maquinário da Sobretom, para dar sequencia na produção: é a empresa AEC CRISTAIS, de São José dos Campos-SP:

http://www.aeccristal.com.br/

Foram eles que compraram o maquinário "artesanal" da SOBRETOM/PIEZO (que por sua vez, era sucessora da RCB- Rádio Cristais do Brasil). O telefone da AEC CRISTAIS é (12) 3201-7000 ou (12) 3201-7003, e podem falar diretamente com o João Manoel, que é a pessoa encarregada para receber encomendas. 
O preço de cada cristal na AEC está em torno de R$ 26,00 a unidade, muito mais em conta do que os U$ 20,00 que a Hosonic vem pedindo, algo proibitivo para  pequenos montadores e experimentadores. Ah, a AEC também monta cristais no encapsulamento HC-51 (com soquete), algo que nem todos os demais fabricantes atendem.
No entanto, para determinadas frequências de cristais, vale a pena procurar no comércio, pois existem algumas frequências consideradas "COMERCIAIS", com preços que acabam saindo muito mais em conta. Como tradicionais vendedores desses tipos de cristais, podemos apontar em São Paulo dois grandes vendedores:
- CLA Comércio de Componentes LTDA - Rua Santa Efigênia 308, 1o andar sala 15- Santa Ifigênia - São Paulo (11) 3331-0021 e (11)  3331-2982 - contato com Cláudio ou Nayra.
- CEAMAR Componentes Eletrônicos LTDA -   Rua dos Andradas nº 596-A (11) 3223-7104 e (11) 3361-4461 - contato com Carlos - a Ceamar tem uma lista com as frequências COMERCIAIS que COSTUMA ter em estoque:
http://www.ceamar.com.br/cristais.htm  (atenção: o endereço que consta NA PÁGINA não está atualizado!)
Além dessas empresas, temos também algumas outras que trabalham com cristais, mas com uma política de vendas mais voltada para GRANDES QUANTIDADES em produção industrial:
PIEZO tecnologia LTDA - (21) 2509-8008 ou (21) 2509-6403 - http://www.piezo.com.br/
HIB HOSONIC Industrial do Brasil LTDA - (46) 3220-8800 (Pato Branco-PR) - http://www.hib.com.br/ OBS: (cobram cerca U$ 20,00 a unidade (!) para "encomendas especiais" em pequenas quantidades
Espero ter sido útil.
73,
Adinei, PY2ADN

10 de ago de 2016

Primeira Radioamadora Brasileira


Odette Cecy Chaves começou a operar como radioamadora com o indicativo de BZ7-AB, Belém -PA, a partir de 1.926. O grande motivador para o ingresso no radioamadorismo foi seu pai, Américo Lins de Vasconcellos, que através de revistas norte-americanas se empolgou pelo radioamadorismo.Na época, os radioamadores operavam exclusivamente em telegrafia, motivo era que a fonia ainda era difícil a realização. Observando que não era bom em telegrafia o pai de Odette organizou um "cursinho" com auxílio de um técnico e professor dos Correios e Telégrafos, e os alunos eram membro da família. Entre todos apenas dois concluíram o curso Odette e seu primo Alberto Mota Filho, que submeteram aos exames de habilitação e foram aprovados.


Seu pai construiu uma estação e Odette começou a operar com BZ7-AB seu indicativo. E realizou vários contatos com Rio de Janeiro, São Paulo, Santos e com outras poucas que existiam na época Depois realizou DX com quase todos os países que existia radioamadorismo, sendo considerada como um grande sucesso o fato de ser mulher e radioamadora (YL) na atividade que praticamente só existia homens  Odette recebeu e enviou cartões e fotos, infelizmente não se pode mostrar algo pois foram extraviados em viagem feita para São Paulo, nos anos trinta. Segundo as suas lembranças se recorda do contato que mais lhe emocionou, um contato com um submarino, e, do operador marinheiro recebeu uma foto e QSL.


Houve muitas modificações na sua estação e Odette nunca chegou a operar em fonia, teve aumento de potência de 7,5 watts para 15 watts, isto foi comprovado em QSL remetido a José Luis de Novais, SB1-AZ, em junho de 1.927, muitos pesquisadores pensavam mas não se confirma, Odette nunca foi telegrafista profissional. Ainda usou os seguintes indicativos: BZ7-AB  -  SB7-AB  -  PY7-AB e seu último indicativo PY8-AB.
A partir de 1.930, Odette, com sua família começou a fazer frequentes viagens e começou a declinar a sua atuação amadorística, comprova-se através das revistas QTC de 1.930 a 1.934 a total ausência de estações do Norte do Brasil. Foi escrito nas páginas 63 do QTC número 3 do mês de janeiro de 1.935. Lê-se: Pará, Amazonas, Acre, Perfeito QTR. PY7-AB, que foi sempre uma entusiasta do radioamadorismo, não se fez mais ouvir. É pena, porque PY7-AB era sempre ouvida com grande prazer. Em pesquisas feita por Geraldo Peçanha dos Santos e por AN-EP (estas pelas leituras da LABRE à revista QTC constaram o seguinte, em ato publicado no Diário Oficial de 23/04/1.932, o Ministério da Aviação do Governo Provisório, determinou a cassação da licença de Odette, para estação transmissora instalada em sua residência) o referido ato não menciona a estação de radioamador ou indicativo ou mesmo o tipo de estação. Em 14 de janeiro de 1.938 o nome de Odette Cecy Chaves deixa de constar na lista de radioamadores do Pará. (ocasionalmente houve inclusão em outras listas).
De janeiro a novembro de 1.935 foi a primeira delegada geral da LABRE/PA, com jurisdição nos estados do Pará, Amazonas, Piauí,  e territórios do Amapa, Rondônia e Roraima.





Fonte: AN-EP - Vol - 94.

Primeiro Radioamador Brasileiro


 LÍVIO GOMES MOREIRA
Seus prefixos indicativos eram SB-3IG (BZ-1M) e PY5AG


Natural de São João da Barra, Estado do Rio de Janeiro, onde nasceu no dia 17 de junho de 1876, sendo filho de Manoel Gomes Moreira e Ana Lyrio Moreira, descendentes de portugueses, foi o primeiro radioamador brasileiro, com o indicativo de chamada SB-3IG (também usava o indicativo BZ-1M), em 1909. Seu equipamento foi construído por ele próprio, ao qual deu o nome de “espirocheta”. Realmente tratava-se de complicado conjunto de três “andares”. No “primeiro andar”, como ele mesmo dizia, estavam os três componentes “parecis”; no “segundo andar”, todo feito de pinho, estava embutido o modulador, de 3 watts; e no “terceiro andar” encontrava-se o tanque final, onde também estava colocado o oscilador, que possuía a famosa 6L6, uma válvula usada na época. Havia ainda o RX, construído de todas as peças que encontrou, procurando imitar o SX-17, com pré-seletor, o xtal e o silenciador de ruídos.
Era telegrafista profissional, chefe em Curitiba, inventou, em 1909, um teclado alfabético aplicado ao transmissor Baudot, o “Detector Lívio”, como era chamado por seus colegas e que se destinava a receber as vibrações da telegrafia sem fio.


Em 13 de agosto de 1909, a convite da diretoria dos telégrafos, realizou experiência com seu invento no Rio de Janeiro. O sucesso foi tão grande que o engenheiro da Repartição Geral dos Telégrafos, Francisco Bhering, em viagem para a Europa, encomendou a construção de dois teclados Lívio à Casa Carpentier, em Paris. A encomenda foi feita em outubro de 1909 e os dois aparelhos chegaram em maio de 1910, tendo ficado um na estação do Rio de Janeiro e o outro em Curitiba. Antes da chegada dos equipamentos, em 5 de novembro de 1909, a Casa Carpentier obteve uma patente de invenção, sob o nº. 408.688, de um manipulador perfurador e transmissor em teclado, tal qual o inventado por Lívio Gomes Moreira.
Este, que nunca se preocupara em patentear sua invenção, continuou com suas pesquisas e inventos, limitando-se, até 1924, à escuta de grandes rádio-emissoras européias, de Nauen (Alemanha), Bordeaux e Assise (França). Utilizava um receptor Telefunken, para ondas de 600 a 4.000 metros.
Em 1913 Lívio Gomes Moreira foi agraciado com uma viagem de estudos à Europa onde, cumprindo missão oficial, pode não apenas ampliar seus conhecimentos, como também obter melhores materiais, o que muito contribuiu para a continuidade de suas pesquisas.
Entre outros trabalhos avulsos, além de seus inventos, publicou a obra “Telegraphia - Noções Práticas”, editada em Curitiba, pela Tipografia Haupt, em 1918. Nesta obra o autor examinou detalhadamente os fenômenos elétricos, visando à educação profissional. Tal obra foi considerada uma das mais atualizadas na época de sua publicação.
No radioamadorismo, apesar da precariedade dos equipamentos, em uma tarde de outubro de 1909, às 17 horas, foi realizada a primeira comunicação rádio-telegráfica entre amadores em nosso país. Tal comunicação ocorreu numa distância aproximada de dois quilômetros, pois o aparelho receptor havia sido instalado na antiga propriedade de José Luz (Juca Luz), nos altos da rua Augusto Stelfeld, e o aparelho transmissor, na residência de Lívio Gomes Moreira.
Lívio foi o primeiro a ouvir os sinais emitidos pelo Engenheiro Carlos G. Lacombe, a quem enviou um telegrama relatando o fato. Carlos G. Lacombe agradeceu, em postal datado de 17 de junho de 1924.
Em 1º de dezembro de 1925, após a regulamentação do Decreto nº. 16.657, de 5 de novembro de 1924, Lívio Gomes Moreira conseguiu seu primeiro comunicado com outro radioamador brasileiro, Humberto Silva - BZ-1A, de Nilópolis, Estado do Rio de Janeiro. Essa comunicação ocorreu após uma vigília de cerca de dez noites consecutivas, com intermináveis chamados (CQ), culminando com a audição fraquíssima dos sinais Morse de seu colega fluminense.
A estação de Lívio Gomes Moreira - BZ-1M, depois PY5AG, alcançou rápidos progressos, conseguindo ele, ainda no mesmo ano, mais vinte e quatro comunicações com as cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Santos e Niterói. Sua primeira grande distância (DX) ocorreu no dia 18 de janeiro de 1926, com um radioamador argentino (DK-1), de Bahia Blanca.
Graças ao espírito pioneiro e investigativo de Lívio Gomes Moreira, em 27 de junho de 1924, foi inaugurada a Rádio Clube Paranaense - PRB-2, de Curitiba - PR, terceira emissora de rádio do país. Lívio Gomes Moreira foi sócio-fundador e diretor técnico da PRB-2 - Rádio Clube Paranense. A Rádio Clube Paranaense, em determinado tempo, transmitiu da residência do Lívio Gomes Moreira, na Rua Paula Gomes, 110. A Rádio Clube Paranaense integrou-se ao primeiro sistema radiofônico nacional com o prefixo internacional SQ1F, onda de 340 metros e transmissor Pekan.

Em Curitiba, o primeiro radioamador brasileiro dá nome a uma via nos bairros Ahú e São Lourenço. A Rua Lívia Moreira tem quase um quilometro de percurso
e fica em uma zona residencial.

Lívio Gomes Moreira era casado com Emma Feifel Moreira, natural de Stutgart, Alemanha. Deste matrimônio teve um filho que lhe levou o nome e as filhas: Hilda Moreira Pedroso, Carmen Moreira Weiss, Zahira Moreira Vianna, Lívia Moreira Martim e Germana Moreira.
Faleceu em Curitiba, aos 7 de junho de 1946, com a idade de 70 anos.






 

23 de jul de 2016

Escola de Radioamadorismo na Cidade de Poá - SP



Quem é Jardel Souto ou PY2KME
Iniciou suas atividades de radioamador na faixa de cidadão nos anos 80 com os seguintes indicativos:
Faixa do Cidadão de PX2I1511
Classe D - ZZ2KME - 11/07/2006
Classe C - PU2KME - 01/03/2007
Classe B - PY2KME - 26/08/2008
Classe A - PY2KME - 02/12/2009
Este é um pequeno resumo da historia deste grande radioamador.
Meu nome é Jardel Souto Dolores  com 47 anos de idade é Radioamador classe A.
No ano de 2007 começamos, a ajudar as pessoas a tirar o indicativo através de aulas ministradas por mim Jardel PY2KME e por mais 3 amigos o tenente Adriano PY2AXH o engenheiro Carlos PY2LSI e o Luiz PY2LCN.
Naquele ano além de ajudar as pessoas ingressar também, ajudávamos a outros fazer a promoção de classe com aulas de CW e radioeletricidade.
Na época tínhamos um espaço em uma escola estadual que abria aos finais de semana (projeto escola da família) foi ai então que me despertou a vontade de passar isso para as crianças que ali ficavam curiosas com as aulas e alguns até pediam para assistir. Mas infelizmente 2 anos se passaram ali e o projeto acabou,porem eu não desisti.
A exatamente, 3 anos atrás eu persisti em voltar a ensinar radioamadorismo para as crianças e foi com muita luta, muito empenho que foi aprovado esse projeto em outra escola estadual onde eles podiam com a permissão dos pais, e fora do horário de aulas normais a fazer esse curso. Então resolvi com apoio da coordenação pedagógica e da diretoria a fazer uma demonstração de código Morse (CW) onde minha surpresa foi a garotada ficou louca ao ver alguém acertar uma frase em sinais de Morse.
Então foi formada a primeira turma, turma esta que esta formada e apta a tirar seus indicativos junto a Anatel – Logicamente com autorização dos seus devidos pais pois a legislação não permite que menores de idade tirem seus indicativos sem a devida autorização e agora começamos a formação da segunda turma, que terá  inicio no próximo mês 08/2016.
Confesso que não foi fácil muitas criticas até de "radioamadores" que se acham os donos da razão onde por motivos desconhecidos me criticaram muito! Na verdade nunca tive apoio de ninguém, políticos, radioamadores enfim ninguém me ajudou em nada, mas criticar tem muito. Tenho 38 anos que moro na cidade de Poá cidade que vou permanecer sempre na minha humilde jornada, pois para eu ser classe A não mudou em nada, continuo sendo a mesma pessoa. O que mais eu fico indignado é que para ajudar não aparece ninguém e essas pessoas, não fazem nada de bom para o radioamadorismo só pensam em fazer os famosos (rolinhos), mas para criticar são os primeiros. Por isto aproveito a oportunidade desse blog para convidar a todos vocês a assistirem meus vídeos no You Tube e se inscreverem no meu canal é só pesquisar na Google por PY2KME. Sou operador da faixa do cidadão também com muita honra onde comecei minha caminhada nos anos 80 com o indicativo de PX2I1511.
Sou um adepto, praticante e professor de CW (telegrafia) ao qual eu ensino com muito prazer às crianças e também os mais velhos sendo que têm vários contatos feitos por este mundo de meu Deus catalogado no site qrz.com.

Desde já agradeço ao amigo Marcão Pu2YOB da cidade de Dois Córregos SP a oportunidade concedida nesse respeitado blog, e me coloco a disposição de vocês amigos radioamadores ou ainda não radioamadores.
Para me conhecer um pouco melhor deixo aqui meu contato via Facebook que é Jardel Souto ou (www.facebook.com/profile.php?id=100004890739438&fref=ts)  quem quiser me adicionar pois posto sempre vídeos referentes ao radioamadorismo,e ao CW.
Fico muito grato a todos e deixo aqui o meu forte 73.

E espero que todos levem essa idéia da escola para todas as cidades, e hoje a cidade de  Poá é a primeira cidade do BRASIL onde se ensina o radioamadorismo e a telegrafia (CW).

Este vídeo abaixo é a primeira turma de alunos formada no 1ª semestre de 2016


 Minha humilde estação de rádio e eu PY2KME

 Entrevista cedida da TV Globo 


 Contato feito via CW com amigo da Argentina



Matéria enviada pelo amigo:
Jardel Souto Dolores – PY2KME – Poá – São Paulo - Brasil

5 de jul de 2016

HOMENAGEM AO AMIGO PY2EZV


A história de “seo” Keneti com o radioamadorismo começou quando ele ainda usava calças curtas e observava os gestos de um radioamador lá pelo ano de 1966, na cidade de Alfredo Marcondes. “Eu ficava olhando e imaginando se ele estava falando sozinho. Passei a gostar do assunto”.
Mais tarde, um circo chegou na cidade e o menino Keneti viu uma antena sobre o circo que imaginou ser de rádio. Era mesmo. Segundo ele, um palhaço era radioamador e falava com sua família em Minas Gerais onde quer que ele estivesse. “Naquela época, para fazer uma ligação de telefone esperava-se horas. Fiz amizade com ele, que me explicou como a coisa funcionava, e decidi que um dia seria radioamador. Fiz a primeira prova que foi implantada em Botucatu para adquirir minha licença, em 1967”.
Keneti Kawashima colecionav cartões de contatos que incluem um rei
Keneti conta que as histórias de quem pratica esse hobby são muitas. Como a de um amigo que, certa vez, fez contato com um radioamador de um país distante e pediu para que ele mandasse um cartão para registrá-lo. Ao receber o cartão, ele mandaria um seu. Para sua surpresa, era o rei Hussein da Jordânia. “Há uma lista com personalidades do mundo inteiro que são radioamadores, como Juscelino Kubitschek e Marlon Brando.

Amigos Kenete PY2 EZV - O fim de algumas coisas é muito difícil de aceitar. Quando a vida de uma pessoa próxima chega ao fim, o coração é invadido pelo luto e fica repleto de tristeza. Nunca esquecerei o dia em que você partiu e deixou um vazio enorme na minha existência.
A única coisa que posso esperar e pedir a Deus é que um dia eu consiga preencher esse vazio e que a felicidade possa ser a minha companheira mais uma vez.
Você partiu, mas as memórias de uma pessoa fantástica sempre ficarão comigo.
Descansa em paz.

De Pu2YOB - Marcão Fernandes - Dois Córregos - SP

27 de jun de 2016

FALSO ou ORIGINAL

Segue neste item algumas dicas para os amigos radioamadores para quando os mesmo forem comprar seus equipamentos. 
Esta dica é para linha Icom modelo: ICV8, ICV8000 e IC 2200H - Microfone HM 133 do IC 2720H - Bateria IC F21 - Original 1ª e 2ª linha.


Temos em visto no mercado, inúmeros rádios da linha Icom falsificados e de 2ª linha sendo vendidos como originais e com o famoso selo preto que na verdade não passa de uma grande enganação em muitos casos.
Neste link segue a matéria completa para suas informações e tirar a suas duvidas antes de comprar seus equipamentos. http://propagacaoaberta.com.br/dicas-radios-linha-icom-ic-v8000-ic-v8-ic-2200h-falsificacao-original-1a-e-2a-linha/ 

Fonte do site http://propagacaoaberta.com.br/

Proteção de Estação

Este é um assunto que muito nos interessa e qual nos radioamadores temos o maior pavor. Nesta edição da Revista CQ Brasileira de nº 05 foi publicada uma matéria interessante pelo PY2 NFE RONALDO GONÇALVES dando muitas dicas e ate mesmo fornecendo alguns projetos a serem feitos.
Segue o link para vc radioamador da uma boa verificada no assunto citado.

13 de jun de 2016

TORRE DE ANTENA MAIS ALTA DO MUNDO


23 de set de 2015

Entenda porque muitas vezes uma estação bacaba não consegue chegar em lugar nenhum

Cabos, conectores, frequências e antenas no topo do edifício.
Depois de algumas conversas, discussões e em alguns casos até mesmo brigas, chega o grande dia de fazermos o projeto para a tão sonhada antena no telhado do prédio.
Rádio novo e de marca bacana, acoplador, wattímetro, switch box para várias antenas, antena de marca conceituada... Temos tudo, certo? Errado.
O mais óbvio certamente já temos, mas o que importa tudo isso se não ouvimos ninguém e ninguém nos ouve?
Se pretende irradiar em HF, tudo bem. Perdas nos cabos são aceitáveis até mesmo nos modelos mais baratos do mercado já que quanto menor a frequência menos significante é a perda. A economia no valor de cabos de transmissão em estações que irão operar em HF pode ser absorvida, mas já nos 2 metros e nos 70 cm nem sempre é assim tão fácil. Paradoxalmente a maioria dos radioamadores aqui no Brasil começa no hobby em VHF que se não tiver alguns cuidados técnicos o resultado é muito abaixo do esperado.
Suponha que você more no 10 andar de uma torre de 20 andares. Quanto deverá comprar de cabo para ligar a saída de seu rádio até a antena instalada lá em cima ?
Numa conta aproximada encontramos o seguinte:
Para cada andar (de laje a laje) que deverá vencer considere 3 metros de cabo.
Do ponto de descida até o seu apartamento uns 8 metros.
Da antena até o cabo de descida mais uns 8 metros.
Pronto. Podemos ter uma idéia do total.
30 metros de cabo de descida mais 16 metros entre antena e estação. Encontramos 46 metros de cabos. Uma boa prática é adotar alguns metros a mais para tentar contornar alguns problemas que aparecerão. Que tal mais 5% de cabo? Ok, então temos uns 48 metros. Para arredondar encomendamos os 50 metros de cabo.
Muito bem, vamos contar agora alguns conectores usados para ligar tudo:
Entre a antena e a caixa de comutação de antenas lá em cima, são 2 conectores PL259. Da caixa de comutação de antenas até o cabo de descida, 1 conector. Do cabo de descida até a régua de distribuição dentro do shack, outro conector. Da régua até o wattimetro/medidor de estacionárias, mais 2 já que provavelmente você construíu um pigtail para ligar da régua até o wattimetro. Do wattimetro até o acoplador, mais 2 e finalemente do acoplador até o rádio, mais 2 conectores.
Muito bem temos até agora 10 pontos de inserção feitos com conectores PL259. Ouvi um colega dizer que a perda em cada conector é da ordem de 0,5 dB até 300Mhz sendo que acima disso pode facilmente chegar a 1 dB. Se essa informação for verdadeira já que pode variar enormemente de marca para marca, esperamos uma atenuação de 5dB no total dos conectores para a frequência de VHF.
Ao usarmos o cabo RG58 que um dos mais baratos soma-se aí mais 8,33 dB de atenuação apenas nos 50 metros de cabo. Porém, adotando o RG213 a queda é de 4,6dB.
Considere então para uma estação de VHF com as condições descritas, a perda é de 13,33 dB ao usar cabos RG58 ou 9,6 dB se usar RG213.
Mas o que significam efetivamente essas perdas?
De forma simples e direta:
A cada 3 dB de ganho, sua potência em watts dobrou.
A cada 3 dB de perdas, sua potência em watts reduziu pela metade.
Agora se perdeu 6dB, terá metade da metade em perdas.
E se ganhou 6 dB, é o dobro do dobro na potência irradiada.
Estime o dobro dessas perdas em estações UHF. A frequência sendo maior se mostra mais sensível nessas perdas nos cabos e pontos de inserção. Ou seja, em UHF a perda nesse cenário usando cabos RG58 pode chegar a 26,6 dB (por isso não têm QSO no simplex em UHF????) e se usar o cabo RG213 uns 19 dB de perdas.
Conclusão e dicas finais:
1- Evite o uso de instrumentos de monitoria durante os QSO. Se você gosta de ver VU balançando arrume um screen-saver para tela de seu computador ou procure algum vídeo com essa imagem. Instrumentos de medida não é a mesma coisa que instrumento de monitoria.
2- Se não vai usar o acoplador de HF ao modular em 2 mts, retire da linha de transmissão.`
2-Evite o uso do PL259. Se puder troque TODOS os conectores pelo tipo N que têm uma perda muito menor que os PL259 erradamente chamados de conectores UHF.
3- Seja moderado com os excessos de cabos entre a antena e seu rádio.
Finalmente esteja certo que se gastou metade do valor do rádio numa fonte e a outra metadade em cabos e conectores de qualidade sua estação será muito boa.
Também não se surpreenda que em muitos casos operar em UHF com uma pequena antena direcional de três elementos da janela do seu apartamento e com um pequeno cabo LMR-240 entre o HT e a antena, o resultado fica muito melhor que a antena "lá de cima".

DE PU2SRZ Silvio Pinheiro